Logotipo Afya
Anúncio
Terapia Intensiva5 novembro 2018

O lactato subiu, e agora?

O ácido láctico, ou lactato (que é o sal, na verdade), é produzido naturalmente em nosso organismo a partir do piruvato (cerca de 20 mmol/kg/dia).

Por Ronaldo Gismondi

O ácido láctico, ou vulgarmente lactato (que é o sal, na verdade), é produzido naturalmente em nosso organismo a partir do piruvato (cerca de 20 mmol/kg/dia). O problema clínico ocorre quando a produção é excessiva e/ou a depuração é reduzida. Isso é particularmente comum em estados de anaerobiose. O que fazer então quando encontramos um paciente com acidose e lactato alto?

Acidose láctica

Hiperlactatemia

A causa mais comum de acidose lática é má perfusão, sendo sepse, choque cardiogênico e hipovolemia as etiologias mais comuns na prática clínica. Hoje, o lactato alto a despeito de volume não só é o principal parâmetro prognóstico na sepse, como também é um dos definidores de choque séptico, mesmo com PA normal.

Todavia, duas outras situações não são infrequentes como causa de lactato aumentado: falência hepática e hipoxemia. Clinicamente costuma ser tranquila a distinção entre má perfusão vs hepatopatia. Se houver dúvida, sempre trate otimizando a DO2.

Causas de hiperlactatemia:

  • Má perfusão / choque
  • Hipoxemia
  • Insuficiência hepática
  • Intoxicação CO
  • Câncer
  • Status epilepticus
  • Metformina
  • Deficiência tiamina
  • Intoxicação exógena

O que fazer então?

O tratamento é o suporte hemodinâmico. A correção da acidose com bicarbonato ou diálise é tema controverso e não há suporte robusto na literatura. Muitos autores recomendam repor bicarbonato se pH < 7,15-7,20.

Referência:

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Compartilhar artigo