Logotipo Afya
Anúncio
Ginecologia e ObstetríciaSET 2021

Recomendações da ADA 2021 para manejo diabetes gestacional

A American Diabetes Association (ADA) inclui recomendações de prática clínica para fornecer diretrizes para manejo do diabetes gestacional.

Por Carolina Mocarzel

O manual da American Diabetes Association (ADA) inclui as recomendações de prática clínica atuais da ADA e se destina a fornecer diretrizes para o melhor manejo do diabetes gestacional através da revisão anual do comitê multidisciplinar de experts. O capítulo 14 é dedicado a diabetes na gestação.

A prevalência de diabetes na gravidez tem aumentado nos EUA em paralelo com a epidemia mundial de obesidade. Além do aumento da prevalência de diabetes tipo 1 e tipo 2 em mulheres de idade reprodutiva, há também um aumento dramático nas taxas de diabetes mellitus gestacional. 

diabetes-gestacional

Os riscos do diabetes gestacional

O diabetes confere significativamente maior risco materno e fetal e este tem correlação com o grau de hiperglicemia mas também com as complicações crônicas e as comorbidades do diabetes. A recomendação do grupo é manutenção de hemoglobina glicada em valores ≤ 6,5%, principalmente no período embrionário de 5 a 8 semanas (esse bom controle mostrou-se eficaz também para prevenção de pré-eclâmpsia nessas pacientes).

Em geral, os riscos específicos do diabetes na gravidez incluem aborto espontâneo, anomalias fetais, pré-eclâmpsia, morte fetal, macrossomia, hipoglicemia neonatal, hiperbilirrubinemia e dificuldade respiratória neonatal. O estudo mostrou evidências consistentes para o uso preventivo de AAS nas doses entre 100 e 162 mg ao dia para prevenção de pré eclampsia nessas pacientes. Trials outros com doses menores que 100 mg não evidenciaram efeito protetivo, assim como não evidenciaram proteção a pacientes diabéticas tipo 1 ou 2 também. Além disso, o diabetes na gravidez pode aumentar o risco de obesidade, hipertensão e diabetes tipo 2 nos conceptos ao longo da vida.  As mulheres com diabetes gestacional tem 10 vezes mais chances de evoluir para diabetes tipo 2, devendo no período de 4 a 12 semanas de pós parto realizar curva glicêmica e monitorização constante. 

Mudança do estilo de vida é um componente essencial da gestão de diabetes mellitus e pode ser suficiente para o tratamento de muitas mulheres. A insulina deve ser adicionada às metas glicêmicas não forem atingidas com dieta e atividade física. 

A insulina é o medicamento de escolha para tratar hiperglicemia no diabetes mellitus gestacional. Metformina e gliburida devem não podem ser usados como agentes de primeira linha, ambos cruzam a barreira placentária. A metformina, quando usada para tratar síndrome do ovário policístico e induzir a ovulação, deve ser interrompida na gestação.

Quer saber mais sobre gestação de alto risco? Conheça a GARexp, equipe formada por quatro obstetras que, através de um olhar diferenciado com vida acadêmica dedicada ao ensino e pesquisa, tem o desejo de aprofundar o conhecimento sobre a verdadeira “gestação de risco”.

 

Referência bibliográfica:

  • Management of Diabetes in Pregnancy: Standards of Medical Care in Diabetes 2021
  • Diabetes Care 2021;44(Suppl. 1):S200–S210
Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Compartilhar artigo