Logotipo Afya
Anúncio
Ginecologia e Obstetrícia17 janeiro 2024

Estudo de coorte sobre o risco de pré-eclâmpsia em mulheres com SOP

Estudo investigou se a associação entre SOP e pré-eclâmpsia depende do hiperandrogenismo clínico tratado e se a SOP está associada a diferentes subtipos de pré-eclâmpsia.

A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é uma das endocrinopatias mais comum em mulheres durante o menacme, sendo caracterizada por distúrbios ovulatórios, hiperandrogenismo e alterações metabólicas. A Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) é considerada um fator de risco para o Desenvolvimento de Pré-Eclâmpsia (PE) durante a gravidez, especialmente por essas características metabólicas e inflamatórias.

Leia também: Síndrome dos ovários policísticos: fisiopatologia e oportunidades terapêuticas

Diante disso, um grupo de pesquisadores suecos desenvolveu um estudo de coorte, publicado no periódico BJOG, com o objetivo de explorar se a associação entre Síndrome dos Ovários Policísticos e pré-eclâmpsia depende do hiperandrogenismo clínico tratado e se a SOP está associada a diferentes subtipos de pré-eclâmpsia.

Estudo de coorte sobre o risco de pré-eclâmpsia em mulheres com SOP

Metodologia

Trata-se de um estudo de coorte, baseado em um banco de registro nacional sueco, que incluiu mulheres nulíparas com SOP (n = 22.947) e controles sem SOP (n = 115.272) que tiveram partos em idade gestacional ≥ 22 semanas entre 1997 e 2015. O hiperandrogenismo clínico tratado foi baseado em prescrições de medicamentos antiandrogênicos durante 2005-2017 (n = 2301 entre as mulheres com SOP). O risco de pré-eclâmpsia foi estimado por meio de regressão logística condicional, expressa como odds ratio (OR) ajustado com intervalo de confiança (IC) de 95%. Os ajustes foram realizados individualmente para fatores de confusão e preditores.

Principais resultados

Foram incluídas no estudo 22.947 mulheres com diagnóstico de SOP, sendo 2.301 mulheres que trataram hiperandrogenismo clínico e 20.646 que não receberam tratamento para hiperandrogenismo, e 115.272 mulheres no grupo controle, sem o diagnóstico de SOP. Do total de mulheres, 6.172 %) tiveram o diagnóstico de PE.

Saiba mais: Síndrome dos ovários policísticos (SOP): novos alvos terapêuticos

Comparado com os controles, as mulheres com SOP tiveram um risco 29% maior de pré-eclâmpsia (OR ajustado pelo preditor 1,29, IC 95% 1,20–1,39), com estimativas de risco semelhantes para mulheres com SOP com e sem hiperandrogenismo clínico tratado. A associação entre SOP e pré-eclâmpsia precoce pareceu mais forte do que sua associação com pré-eclâmpsia tardia (OR preditivo ajustado 1,64 (IC 95% 1,33–2,02) e 1,26 (IC 95% 1,17–1,37). Além disso, a associação pareceu ligeiramente mais forte entre SOP e pré-eclâmpsia em mulheres com RN pequenos para idade gestacional.

Conclusões sobre SOP e risco de pré-eclâmpsia

Mulheres com SOP enfrentam maior risco de pré-eclâmpsia em comparação com controles sem SOP; no entanto, esse risco parece parcialmente dependente da comorbidade sobrepeso/obesidade. Além disso, com base nos dados disponíveis, o estudo não foi capaz de determinar se o hiperandrogenismo na SOP aumentava o risco. A associação entre SOP e pré-eclâmpsia foi mais forte quando restringimos os desfechos à pré-eclâmpsia precoce e pré-eclâmpsia em mulheres com fetos PIG, sugerindo que a SOP pré-existente afeta a placentação no início da gravidez. Resultados semelhantes foram obtidos em modelos com abordagens causal e de predição.

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo