Logotipo Afya
Anúncio
CirurgiaNOV 2022

11 tipos de sutura que todo médico deve conhecer

Vamos começar com a nossa publicação semanal de conteúdos do Whitebook, mostrando os 11 tipos de suturas indispensáveis para a prática.

Por Felipe Victer

Nas cirurgias, fazemos uso de uma gama de materiais. Talvez o material mais primordial (depois do bisturi) sejam os fios de sutura. As suturas são a melhor forma de realizar o fechamento adequado de ferimentos, além de permitir a aproximação ideal dos bordos. Hoje, vamos mostrar os tipos de suturas indispensáveis para a prática, além dos principais tipos de fios utilizados.  

Leia também: Sutura absorvível é boa no reparo das lesões do tendão de Aquiles? 

Suturas

  • A escolha do fio de suturas baseia-se no local do ferimento, extensão e área de exposição.
  • Os fios apresentam uma numeração que está de acordo com o seu diâmetro. De uma maneira geral, podem ser realizadas em até 6h para mãos e pés, e em até 24h, em ferimentos de face e escalpe.
  • Usualmente, é utilizada a pinça “dente de rato”, evitando-se apertar tecidos.

sutura

Fios de sutura

Por que devemos ter diferentes fios? Cada tipo de fio possui uma característica particular, como: tempo de força tênsil, se é absorvível, como ocorre a absorção, dentre outras. 

Os materiais de síntese possuem propriedades diferentes entre si e devem ser aplicados de acordo com o tecido. Por exemplo, um fio para fechamento de aponeurose deve possuir um longo período de força tênsil, caso contrário o paciente está sujeito a formação de hérnias incisionais e/ou evisceração. Confira os tipos de fios de sutura:

  • Fio 6-0: Mais fino. Utilizado em face e áreas com importância estética.
  • Fio 5-0: Utilizado em suturas da mão e dedos.
  • Fio 4-0: Utilizados para reparo de extremidades proximais e tronco.
  • Fio 3-0: Fio de grande calibre, utilizado para planta do pé e escalpo.
  • Fio 2-0: Couro cabeludo.

Mas como saber se estamos utilizando os fios corretos? Primeiramente, é fundamental o cirurgião ter conhecimento prévio de quais são as possibilidades de uso para aquela determinada estrutura. No entanto, no decorrer de um ato operatório, é comum ter diversos fios preparados para uso na mesa da instrumentadora. Para que não haja confusão, existe uma codificação por cor entre os diferentes materiais utilizados. 

O código de cor é lançado pelo primeiro fabricante e é seguido pelos demais. Também é comum que o nome comercial do primeiro lançamento seja o nome mais utilizado na linguagem coloquial do centro cirúrgico, mesmo que o fio seja produzido por outro fabricante e tenha outro nome comercial (confeccionado com o mesmo material). 

Veja, na tabela abaixo, os principais tipos de fios, seus nomes e características: 

Tipo / Nome  Material  Cor  Força tensil  Absorção total  
Vicryl ®  Poliglactina  Roxo / multifilamentar  28 dias  56-70 dias  
PDS II ®  Polidiaxona  Violeta / monofilamentar  90 dias  182-238 dias  
Prolene ®  Polipropileno  Azul / monofilamentar  N/D    
Polycot ®  Algodão  Marinho / multifilamentar  N/D    
V-Loc 180 ®  Polímero glicólico  Verde / farpado  56 dias  180 dias  
V-Loc 90 ®  Polímero glicólico  Violeta / farpado  28 dias  90-110 dias  

  

Leia também: Cirurgia Geral: cinco assuntos importantes para a Residência Médica 

Na realidade, não existe um fio “perfeito”. Os fios multifilamentares aceitam melhor a manipulação e o nó realizado pelo cirurgião, em contrapartida, provocam mais dano tecidual pelo atrito e são mais suscetíveis a infecções. Já os fios monofilamentares podem romper durante a sua manipulação, especialmente no momento da realização do nó ou quando um instrumento cirúrgico é utilizado para segurar a sutura. 

A reação inflamatória provocada pelo próprio fio também é levada em consideração. Por isso, normalmente é almejável que fios que provoquem uma reação inflamatória maior sejam utilizados em locais como ligaduras de pequenos vasos, o que diminui o risco de sangramentos. Já em áreas de anastomose intestinais ou vasculares, o fio ideal deve provocar uma menor reação inflamatória. 

De forma semelhante às suturas manuais, as suturas mecânicas também seguem um padrão de codificação de cores entre os diferentes fabricantes. As cores representam a altura do grampo e, portanto, estabelecem o tipo de tecido que devem ser utilizados, uma vez que os grampos são confeccionados com liga metálica. 

Na categorização por cores, os tipos de fios são: 

CorEspessura do tecido  
Branca  1,0 – 2,0 mm  
Azul  1,5 – 2,4 mm  
Verde  2,3 – 4,0 mm  
Bege  0,88 – 1,5 mm  
Roxa  1,5 -2,25 mm  

 

Características dos Fios Absorvíveis

1) Categute simples

  • Tempo de absorção: 7 – 10 dias;
  • Reação com o tecido: Grande;
  • Uso: Ligar vasos hemorrágicos, anastomoses intestinais e fechamento de plano subcutâneo;
  • Características: Sintético, trançado e maior incidência de infecções.

2) Categute cromado

  • Tempo de absorção: 21 – 28 dias;
  • Reação com o tecido: Grande;
  • Uso: Igual ao simples;
  • Características: Obtido de intestino de boi ou carneiro e tratado com cromo.

3) Ácido poligalático (Vycril)

  • Tempo de absorção: 14 – 30 dias;
  • Reação com o tecido: Mínima;
  • Uso: Fechar aponeuroses e subcutâneo;
  • Características: Fio sintético, trançado e maior chance de infecções.

4) Polidiaxona (PDS)

  • Tempo de absorção: 14 – 30 dias;
  • Reação com o tecido: Mínima;
  • Uso: Anastomoses intestinais e urológicas; os mais calibrosos podem ser utilizados em aponeuroses. Uso permitido em presença de infecção;
  • Características: Monofilamentar, incolor ou violeta e de difícil manejo pela rigidez.

Características dos Fios Inabsorvíveis

1) Seda

  • Mantém tensão por aproximadamente 1 ano;
  • Reação com o tecido: Baixa;
  • Uso: Ligaduras vasculares e mucosa oral;
  • Características: Filamento proteico, fácil manuseio e fixação. Não deve ser utilizado na presença de infecção.

2) Algodão

  • De 6 meses a 2 anos, mantendo boa tensão;
  • Reação com o tecido: Baixa;
  • Uso: Ligaduras vasculares e mucosa oral;
  • Características: Filamento proteico, fácil manuseio e fixação. Não deve ser utilizado na presença de infecção.

3) Nylon

  • Degradação em 2 anos aproximadamente;
  • Reação com o tecido: Mínima;
  • Uso: Suturas dérmicas;
  • Características: Mono ou polifilamentar. Pode ser preto, verde ou branco.

4) Polipropileno (Prolene)

  • Mantém-se por tempo indefinido, mantém tensão por anos;
  • Reação com o tecido: Mínima;
  • Uso: Intradérmico, fáscia e microvascular;
  • Características: Monofilamentar. Pode ser utilizado em contaminação ou infecção. Incolor ou azul.

Tempo para retirada dos pontos

  • Couro Cabeludo = 7 dias;
  • Pálpebra e lábio = 3 a 4 dias;
  • Nariz e supercílio = 3 a 5 dias;
  • Orelha = 10-14 dias;
  • Tronco (face anterior) = 8 a 10 dias;
  • Dorso e extremidades = 12 a 14 dias;
  • Mão, pé e sola = 10 a 14 dias.

Tipos de suturas

Sutura simples e chuleio

 

Sutura chuleio cruzado

Sutura intradérmico simples e contínua

Sutura colchoeiro simples e contínua

Sutura Donnati simples e contínua

Sutura de Lembert simples e contínua

Sutura de Cushing

Sutura com eversão

Sutura de Halsted

Sutura de Connel

Sutura em Bolsa de tabaco

 

Mensagem prática: na hora das suturas, o uso da codificação de cores é fundamental para a segurança do procedimento operatório, pois evita confusão e mostra ao cirurgião qual material realmente está utilizando.

Clique aqui e baixe grátis nosso e-book “11 suturas que todo médico deve conhecer”

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo