Logotipo Afya
Anúncio
PediatriaJUN 2024

Nova edição da Caderneta da Criança já conta com teste para detecção de autismo

M-Chat é usado para chegar ao diagnóstico de TEA durante os atendimentos feito por profissionais de saúde.

A mais recente edição da Caderneta da Criança – Passaporte da Cidadania já inclui escala M-Chat (Modified Checklist for Autism in Toddlers) como método para chegar ao diagnóstico de transtorno do espectro autista (TEA). A avaliação é feita durante os atendimentos médico na rede pública, juntamente à abordagem tradicional feita por um profissional da saúde. 

Além do link para a avaliação, a nova edição do documento em PDF também traz orientações para cuidadores e profissionais de saúde sobre a aplicação e a interpretação do teste. 

As informações compreendidas na caderneta são relevantes também para que as famílias compreendam o significado do teste e estejam cientes de que crianças diagnosticadas com autismo necessitam de uma equipe multiprofissional.  

Em nota, pasta reforçou ainda que se trata de um teste de triagem, não de confirmação de diagnóstico, que somente poderá ser feita após  

A ferramenta 

O M-Chaté uma ferramenta de rastreamento precoce de autismo, que visa identificar indícios desse transtorno em crianças entre 18 e 24 meses. Ele consiste em um questionário com perguntas objetivas sobre características frequentes em crianças com sintomas de autismo, que deve ser respondido por pais e responsáveis.  

O Ministério da Saúde informou que prepara a impressão de cerca de 3 milhões de novas cadernetas para distribuição em todos os estados e capitais. A previsão é que o material seja encaminhado no segundo semestre de 2024. O formato online - com uma versão para meninos e outra para meninas - já está disponível no site da pasta. 

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo