Logotipo Afya
Anúncio
Ginecologia e Obstetrícia17 agosto 2021

Níveis mais altos de selênio e manganês durante a gravidez podem proteger os bebês de futuras hipertensões

De acordo com pesquisa, gestantes com níveis altos de selênio e manganês, dão a luz a bebês com menor chance de terem hipertensão arterial.

Com os avanços da medicina fetal, cada vez mais estudos têm sido publicados envolvendo o tema. Saber sobre nutrição e suplementação gestacional tornou-se essencial para uma boa assistência durante o pré-natal. De acordo com Gomes (2019), os hábitos alimentares durante a gravidez são influenciados por diversos fatores, sendo essencial conhecê-los para poder realizar intervenções nutricionais na atenção pré-natal. Sobrepondo a este fato, Zhang (2021) mostra que uma orientação nutricional e suplementar pode levar a desfechos saudáveis para o feto na vida adulta. Afinal, de acordo com sua pesquisa, gestantes com menos metais pesados e radicais livres em seu útero, associado a níveis altos de selênio e manganês, dão a luz a bebês com menor chance de desenvolver hipertensão arterial na infância (ZHANG, 2021). 

Leia também: Gravidez: aplicativo para smartphone pode ajudar a controlar peso, dieta e atividade física

Níveis mais altos de selênio e manganês durante a gravidez podem proteger os bebês de futuras hipertensões

Estudo recente

Em junho de 2021 foi publicado uma pesquisa de coorte na Environmental Health Perspectives. Foram coletados dados de mulheres que tiveram parto único no Boston Medical Center e de seus filhos, no período de 2002 a 2013. 1.501 gestantes tiveram amostras de seu sangue coletadas logo após o parto para poder avaliar os níveis de metais pesados (chumbo, mercúrio e cádmio), além de vestígios de selênio e manganês. E 1.272 crianças foram acompanhadas dos três aos quinze anos para avaliação da pressão arterial e posterior comparação com os dados coletados de suas mães. No final do estudo 1.194 mães com suas crianças fecharam critérios para a pesquisa. Vale ressaltar que as mães com patologias prévias à gestação ou eventos adversos durante a gestação e/ou parto foram excluídas da pesquisa para evitar viés no estudo.

Saiba mais: Suplementação de ferro na gravidez?

Os resultados mostraram que os níveis de chumbo e mercúrio não estão associados à pressão sistólica das crianças. Já os altos níveis de selênio e manganês foram associados a níveis pressóricos mais baixos das crianças durante todos os anos da pesquisa. Os níveis elevados de manganês em mães que fumaram durante a gestação foram muito importantes para as crianças obterem níveis pressóricos mais baixos. Da mesma forma que ocorreu com as gestantes tabagistas, níveis altos de manganês protegeram as crianças de mães com níveis elevados de cádmio.

Mensagem final

A influência da alimentação e dos demais hábitos saudáveis da gestante influenciam a saúde do bebê diretamente, e não apenas nos primeiros anos de vida (MANUAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA GESTAÇÃO, 2021). Como obstetra ou médico da família é dever a orientação adequada quanto à alimentação e suplementação vitamínica da gestante durante todo o pré-natal, afinal, isso promove melhora da saúde não apenas da gestante, mas também, da criança até sua vida adulta. Trabalhando assim com a prevenção  de doenças que essa criança pode desenvolver, ao invés, de agir apenas quando essa criança já apresentar alguma patologia.

Referências bibliográficas:

  • Zhang M, et al. In Utero Exposure to Heavy Metals and Trace Elements and Childhood Blood Pressure in a U.S. Urban, Low-Income, Minority Birth Cohort. Environmental Health Perspectives. 2021;129:6. doi: 10.1289/EHP8325
  • Gomes CB, et al. Hábitos alimentares das gestantes brasileiras:revisão integrativa da literatura. Ciência & Saúde Coletiva [online]. 2019;24(6):2293-2306. doi: 10.1590/1413-81232018246.14702017.
  • Ministério da Saúde de Portugal. MANUAL DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO NA GESTAÇÃO. Março, 2021.
Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Compartilhar artigo