Logotipo Afya
Anúncio
SaúdeMAR 2024

SUS incorpora fostensavir trometamol para tratamento de HIV mutirresistente

Antirretroviral entrou em consulta pública em janeiro, já com parecer favorável da Conitec. Fostensavir está disponível para adultos.
O Ministério da Saúde anunciou, no último dia 06, a inclusão do antirretroviral fostensavir trometamol 600mg ao Sistema Único de Saúde (SUS). O objetivo é ampliar as opções de tratamento para adultos com HIV ou AIDS, trazendo uma nova opção para aqueles possuem multirresistência aos medicamentos atualmente disponibilizados. A incorporação do antirretroviral ao SUS entrou em consulta pública em janeiro deste ano, após a Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias para o Sistema Único de Saúde (Conitec) dar seu parecer técnico favorável. O medicamento é aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso e comercialização no país desde 2021.

Fostensavir

O fostensavir é um inibidor de fusão que se liga diretamente à glicoproteína 120 (gp120) localizada no envelope viral, impedindo a mudança conformacional necessária para sua interação com os receptores de superfície das células CD4. Essa molécula não apresenta resistência cruzada com outras classes de antirretrovirais, além de ter um perfil favorável de eventos adversos, o que faz dela uma opção promissora. Ele foi avaliado em alguns estudos, sendo o BRIGHTE o que serviu com base para aprovação do medicamento: um ensaio clínico randomizado conduzido em 23 países. O estudo, que contou com 371 participantes, avaliou o uso de fostensavir em pacientes com infecção por HIV-1 multirresistente durante 48 semanas. Seus resultados apontaram uma eficácia significativamente melhor do que placebo depois de oito dias como monoterapia funcional.

HIV e AIDS

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2022, o mundo tinha aproximadamente 39 milhões de pessoas vivendo com HIV, sendo cerca de 1,5 milhão delas crianças e adolescentes (pessoas com menos de 15 anos de idade). No Brasil, de 1980 a 2022, mais de 1 milhão de casos já havia sido reportado. Quanto à resistência, dados da OMS de 2019 mostravam que cerca de 10% dos adultos que iniciavam o tratamento com nevirapina ou efavirenz não respondiam da maneira esperada. Um outro report, agora de 2024, mostrou que a resistência ao dolutegravir (DTG) variou de 3,9% a 8,6%, podendo chegar a 19% dependendo do caso e local. Este último, comparou resultados de estudos a dados de vida real e mostrou que a resistência parece ser maior que o previsto. *Este artigo foi revisado pela equipe médica do Portal.
Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo