Logotipo Afya
Anúncio
PediatriaDEZ 2023

Orientação para profissionais de saúde detectarem anquiloglossia em RNs

A anquiloglossia é uma condição na qual o frênulo lingual é curto, espesso ou incomumente tenso, restringindo o movimento da língua.

Por Augusto Coutinho

Nota técnica publicada pelo Ministério da Saúde, baseada na tradução do Protocolo Bristol, orienta os profissionais de saúde na detecção e atendimento de casos de anquiloglossia em recém-nascidos no âmbito do Sistema Único de Saúde.

Leia também: Taquipneia transitória do recém-nascido

Orientação para profissionais de saúde detectarem anquiloglossia em RNs

Recomendação

A Secretaria de Atenção Primária (SAPS) recomenda que o frênulo lingual de todos os bebês sejam avaliados ainda na maternidade. O profissional deve avaliar a aparência da ponta da língua, a fixação da extremidade inferior do frênulo, a elevação e a protrusão da língua do recém-nascido.

De acordo com a técnica da Coordenação de Atenção à Saúde da Criança e do Adolescente, Priscila Olin: “A avaliação do frênulo lingual já faz parte do exame físico do recém-nascido em todo o país. Fizemos essa nota técnica para orientar o uso do protocolo sugerido pelo Ministério para esses casos e como deve ser o seguimento nos serviços de saúde, apoiando o trabalho das equipes de saúde”.

Saiba mais: Quiz: Paciente recém-nascido com relato de hidronefrose. Qual o diagnóstico?

Amamentação

A condição congênita, também conhecida como “língua presa”, além de gerar problemas de desenvolvimento oral pode complicar a amamentação, com os bebês apresentando dificuldades de pegar a mama, sugar e engolir o leite, além de causar dores e fissuras nos seios maternos.

Dessa forma, a Nota Técnica também recomenda que a mamada seja avaliada e se for detectada a gravidade da condição por equipe multiprofissional que seja realizada frenectomia, caso necessário.

A íntegra da nota sobre anquiloglossia pode ser acessada no site do Ministério da Saúde, através deste link.

Este artigo foi revisado pela equipe médica do Portal.

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo