Logotipo Afya
Anúncio
OrtopediaNOV 2022

Quais os fatores de risco para tromboembolismo venoso após fraturas de tornozelo?

Toda cirurgia pode aumentar o risco de desenvolver tromboembolismo, porém fraturas isoladas no tornozelo e pé carregam peculiaridades.

As lesões ortopédicas sabidamente predispõem os pacientes a uma maior chance de tromboembolismo. Dessa maneira, a tromboprofilaxia vem sendo recomendada aos pacientes quando os benefícios superam os riscos. Entretanto, não há consenso sobre essa recomendação para fraturas de pé ou tornozelo isoladas. 

A taxa de tromboembolismo após uma fratura isolada de pé ou tornozelo na literatura é menor que 0,8%, aumentando o risco com a idade. Baseado nisso, a Sociedade Americana de Pé e Tornozelo (AOFAS) não recomenda a tromboprofilaxia em cirurgias abaixo do joelho. 

Leia também: Há risco na profilaxia com aspirina em pacientes com histórico de tromboembolismo venoso?

Quais os fatores de risco para tromboembolismo venoso após fraturas de tornozelo?

Quais os fatores de risco para tromboembolismo venoso após fraturas de tornozelo?

O estudo 

Foi publicado no último mês, na revista Plos One, um estudo com o objetivo de analisar pacientes, fraturas e outras variáveis para identificar fatores preditivos de TVP em pacientes com fraturas isoladas do pé e tornozelo. Foi realizada uma análise retrospectiva em uma base de dados americana de pacientes maiores de 18 anos com fraturas de pé ou tornozelo entre 2015 e 2020. 

 

Métodos e resultados 

Foram identificados 298.886 pacientes com fraturas isoladas do pé ou tornozelo, dos quais 1.661 (0,56%) tiveram TEV nos 90 dias após a fratura. Em termos de tempo, 27,3% ocorreram na primeira semana e 49,8% ocorreram nas três primeiras semanas.  

Fatores de risco independentes para TEV incluiram (em ordem decrescente): TEV prévio (razão ímpar [OR] = 25,44), fator V Leiden (OR = 24,34), câncer ativo (OR = 1,84), fratura do metatarso (múltiplas fraturas [OR: 1,51], fratura do tornozelo [OR = 1,51] e fratura do calcâneo [OR = 1,24]), tratamento cirúrgico (OR = 1,41), sexo masculino (OR = 1,19), maior índice de Elixhauser (OR = 1,05) e aumento da idade (OR:1,05 por década) (p<0,05 para cada). 

Saiba mais: Qual tratamento previne mais contra tromboembolismo venoso após artroplastia total de joelho ou quadril?

 

Conclusão 

O estudo constatou que, embora apenas 0,56% das fraturas isoladas do pé e tornozelo apresentaram TEV em noventa dias, fatores de risco definidos, como Fator V Leiden, TEV prévio, tratamento cirúrgico, câncer ativo e padrões específicos de fratura significativamente afetaram as chances de sua ocorrência. 

 

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Compartilhar artigo