Logotipo Afya
Anúncio
NeurologiaJAN 2019

Adultos com paralisia cerebral têm maior risco de depressão e ansiedade

Pesquisadores britânicos realizaram um estudo para analisar o risco de depressão e ansiedade em indivíduos adultos, em comparação com outros sem PC. Confira os resultados:
Tempo de leitura: [rt_reading_time] minutos. A paralisia cerebral (PC) é um distúrbio não progressivo no desenvolvimento do movimento e da postura. A encefalopatia crônica pode ser causada por má-formações durante o pré-natal ou lesões no sistema nervoso central no peri ou pós-natal. Em lactentes, os sinais e sintomas clínicos da paralisia cerebral emergem e evoluem antes dos dois anos, logo o diagnóstico precoce da PC começa com uma história médica e envolve o uso de neuroimagem e avaliações neurológicas e motoras padronizadas que indicam achados anormais congruentes.

Paralisia cerebral em adultos

Até o momento, a maioria dos estudos sobre paralisia cerebral avaliava os efeitos da doença em pacientes pediátricos. Pesquisadores britânicos realizaram um levantamento para analisar o risco de depressão e ansiedade em indivíduos adultos, em comparação com outros sem PC, pareados por idade e gênero. Leia mais: Qual o melhor método para diagnosticar a paralisia cerebral precocemente? O estudo de coorte longitudinal, realizado em unidades de atenção primária na Reino Unido, contou com 6820 participantes; destes, 46,8% eram mulheres e tinham idade média 33,3 anos. No total, 1705 pacientes tinham paralisia cerebral e 5115 não possuíam PC. A pesquisa ocorreu entre 1987 e 2015, os resultados foram publicados em dezembro no periódico Jama Neurology.

Resultados

O estudo identificou um risco mais elevado para o desenvolvimento de depressão e ansiedade em pacientes com PC em comparação aos participantes que não tiveram paralisia cerebral na infância. O risco (Hazard ratio) para depressão foi de 1,28 (IC 95% [1,09-1,51]) e para ansiedade ficou em 1,40 (IC 95% [1,21-1,63]) em comparação aos outros indivíduos. Os participantes com PC que não possuíam alguma deficiência intelectual como comorbidade apresentaram maior risco para depressão (HR, 1,44; IC 95%[1,20-1,72]) e ansiedade (HR, 1,55; IC 95%,[1,28-1,87]) do que os participantes sem PC. Tenha em mãos informações objetivas e rápidas sobre práticas médicas. Baixe o Whitebook Referências:
Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Compartilhar artigo