InfectologiaMAR 2024

Dengue no Brasil: com o aumento de casos, procura por repelentes cresce no país

Saiba quais substâncias são as mais eficazes na prevenção de picadas de mosquitos, incluindo o causador da dengue.
0 visualizações
0 avaliações
2
Ler depois
Por Roberta Santiago
Capa do artigo
Tem sido recorrente a procura por repelentes, dada a epidemia de dengue que o Brasil vem enfrentado desde o fim de 2023. De acordo com uma pesquisa da Nielsen IQ, em janeiro deste ano, as vendas dos produtos que protegem contra picadas de mosquitos avançaram 48,3% em relação ao mesmo período do ano passado.   A diferença entre esses produtos é basicamente o tempo de duração e a recomendação de uso. Entenda:  

Icaridina 

Derivada da pimenta, a substância é a mais indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Sua duração chega até 10 horas e, por isso, é necessário aplicá-la apenas uma vez por dia. Em estudos feitos até pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), com 25% de concentração, a icaridina demonstrou ser o repelente mais eficiente no comparativo com os outros dois avaliados.   Leia também: Dengue: apresentação clínica da doença  

DEET 

Repelentes à base de DEET, podem ter duração de duas a oito horas, dependendo da concentração (5% a 30%). No entanto, há uma restrição: eles não podem ser utilizados em crianças menores de 2 anos de idade. Para crianças de 2 a 12 anos, a concentração máxima não deve ser superior a 10% e a aplicação não deve ultrapassar o limite de três ao dia. 

IR 3535 

A maior vantagem dos repelentes à base do IR3535 é a liberação para uso em crianças a partir dos 6 meses de idade. A depender da concentração, o produto oferece de 4 a 8 horas de proteção. Um estudo realizado na Tailândia comparou a eficácia do IR3535 com outro repelente comum, em voluntários humanos que aplicaram uma solução a 20% de cada produto nos antebraços.   Foi concluído que a proteção média foi de 98,4 a 100% contra mosquitos durante o dia e a noite. 

Aplicação em cada fase 

  • Bebês até seis meses: não devem usar repelentes e a melhor opção, nesse caso, são as barreiras física, como mosquiteiros, telas e roupas como macacão;
  • Bebês de seis meses a dois anos: IR3535 é o mais seguro;
  • Acima de dois anos: todos à base de icaridina, DEET e IR3535; 
  • Gestantes: podem usar as três substâncias, sendo a icaridina é a mais indicada por ter maior duração e menor necessidade de reaplicação.  

Modos de uso 

Independentemente da substância escolhida, é necessário estar atento às indicações de utilização disponíveis no rótulo, para que o repelente funcione de acordo com a necessidade em cada caso.  Leia também: Dengue no Brasil: Testes disponíveis e indicações  
Tem sido recorrente a procura por repelentes, dada a epidemia de dengue que o Brasil vem enfrentado desde o fim de 2023. De acordo com uma pesquisa da Nielsen IQ, em janeiro deste ano, as vendas dos produtos que protegem contra picadas de mosquitos avançaram 48,3% em relação ao mesmo período do ano passado.   A diferença entre esses produtos é basicamente o tempo de duração e a recomendação de uso. Entenda:  

Icaridina 

Derivada da pimenta, a substância é a mais indicada pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Sua duração chega até 10 horas e, por isso, é necessário aplicá-la apenas uma vez por dia. Em estudos feitos até pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), com 25% de concentração, a icaridina demonstrou ser o repelente mais eficiente no comparativo com os outros dois avaliados.   Leia também: Dengue: apresentação clínica da doença  

DEET 

Repelentes à base de DEET, podem ter duração de duas a oito horas, dependendo da concentração (5% a 30%). No entanto, há uma restrição: eles não podem ser utilizados em crianças menores de 2 anos de idade. Para crianças de 2 a 12 anos, a concentração máxima não deve ser superior a 10% e a aplicação não deve ultrapassar o limite de três ao dia. 

IR 3535 

A maior vantagem dos repelentes à base do IR3535 é a liberação para uso em crianças a partir dos 6 meses de idade. A depender da concentração, o produto oferece de 4 a 8 horas de proteção. Um estudo realizado na Tailândia comparou a eficácia do IR3535 com outro repelente comum, em voluntários humanos que aplicaram uma solução a 20% de cada produto nos antebraços.   Foi concluído que a proteção média foi de 98,4 a 100% contra mosquitos durante o dia e a noite. 

Aplicação em cada fase 

  • Bebês até seis meses: não devem usar repelentes e a melhor opção, nesse caso, são as barreiras física, como mosquiteiros, telas e roupas como macacão;
  • Bebês de seis meses a dois anos: IR3535 é o mais seguro;
  • Acima de dois anos: todos à base de icaridina, DEET e IR3535; 
  • Gestantes: podem usar as três substâncias, sendo a icaridina é a mais indicada por ter maior duração e menor necessidade de reaplicação.  

Modos de uso 

Independentemente da substância escolhida, é necessário estar atento às indicações de utilização disponíveis no rótulo, para que o repelente funcione de acordo com a necessidade em cada caso.  Leia também: Dengue no Brasil: Testes disponíveis e indicações  

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo

Roberta SantiagoRoberta Santiago
Roberta Santiago é jornalista desde 2010 e estudante de Nutrição. Com mais de uma década de experiência na área digital, é especialista em gestão de conteúdo e contribui para o Portal trazendo novidades da área da Saúde.

Artigos recomendados