Logotipo Afya
Anúncio
Ginecologia e ObstetríciaMAR 2022

Duração do sulfato de magnésio pós-parto para a prevenção da eclâmpsia

O uso de sulfato de magnésio revolucionou a obstetrícia reduzindo os eventos eclâmpticos e a mortalidade geral.

A pré-eclâmpsia acomete em média 2 a 8% de todas as gestações, podendo significar altas taxas de morbimortalidade materna e complicações neonatais. Eclâmpsia, definida como a complicação com convulsões em associação com pré-eclâmpsia, ocorre em torno de 2 a 3% das mulheres com pré-eclâmpsia. O uso de sulfato de magnésio revolucionou a obstetrícia reduzindo os eventos eclâmpticos e a mortalidade geral.

sulfato de magnésio

Estudo

O trial MAGPIE (MAGnesium sulphate for Prevention of Eclampsia) publicado no Lancet em 2002 randomizou mulheres para estudar as vias EV e IM no tratamento e prevenção das convulsões eclâmpticas. Após a dose de ataque mantém-se o esquema escolhido por 24 horas após o parto. Os resultados foram extrapolados internacionalmente e mantidos sem discussão de possíveis alternativas de duração menores na tentativa de mitigar efeitos colaterais do sulfato de magnésio. Vários estudos menores e de pouco impacto têm sugerido durações menores de administração pós parto e prevenção de desfechos ruins.

Um novo capítulo se apresentou no último 10 de março de 2022 publicado na Obstetics & Gynecology, onde uma revisão sistemática e metanálise guiada por dois pesquisadores independentemente revisaram 3.629 artigos selecionando dez estudos para revisão final para obter as conclusões mais robustas. Alguns dados interessantes que foram comparados:

Tempo de uso de sulfato de magnésio pós-parto:

  • Seis trials comparando 12 x 24 horas.
  • Três trials comparando 6 x 24 horas.
  • Um trial comparando 8 x 24 horas.

Via de administração:

  • Sete estudos usaram via EV exclusiva.
  • Um estudo usou via IM exclusiva.
  • Dois estudos usaram as vias combinadas.

Novas crises eclâmpticas

  • Todos os estudos mostraram novas convulsões em todos os horários.

Leia também: Uso de aspirina para prevenir pré-eclâmpsia diminui morbidade fetal e materna?

Considerações

Poucos estudos avaliaram desfechos secundários de interesse como tempo de sondagem vesical (menor duração do sulfato exige menos tempo de sondagem – quatro estudos). Tempo livre para deambulação (dois estudos – menor tempo de sulfato permite ao paciente deambular precocemente). E ainda somente em um estudo houve pesquisa do desfecho morte materna (uma única morte materna ocorrendo em cada grupo). Eventos como AVC ocorrendo um episódio no grupo de 24 horas e dois episódios nos grupos de menor tempo e amaurose cortical um evento no grupo de 24 horas também.

Nesta revisão sistemática com metanálises a comparação do regime tradicional com um de duração menor que 24 horas de administração de sulfato magnésio pós-parto não mostrou aumento do risco de convulsões no pós-parto. O risco foi semelhante em ambos os grupos de 1,2% e 3,0% , respectivamente, de apresentarem crise convulsiva nos grupos menos de 24 horas e no grupo de 24 horas de medicação.

Anúncio

Assine nossa newsletter

Aproveite o benefício de manter-se atualizado sem esforço.

Ao assinar a newsletter, você está de acordo com a Política de Privacidade.

Como você avalia este conteúdo?

Sua opinião ajudará outros médicos a encontrar conteúdos mais relevantes.

Referências bibliográficas

Compartilhar artigo